viernes, 24 de noviembre de 2017

QUARTETO DO RIO (EX-OS CARIOCAS) LANÇAM PRIMEIRO CD “Mr. BOSSA NOVA” COM PARTICIPAÇÃO DE ROBERTO MENESCAL, O HOMENGEADO DO DISCO

Mr. Bossa Nova é o primeiro CD do Quarteto do Rio, grupo vocal e instrumental criado pelos ex-integrantes do inigualável Os Cariocas, que fez história na música brasileira com o seu jeito marcante de harmonizar e interpretar. Este álbum, que chega às lojas pelo selo Mins, homenageia o grande músico Roberto Menescal, que completa 80 anos em 25 de outubro de 2017, com um repertório inteiro de sua autoria, sendo três inéditas, e participação dele em todo o disco.

Eloi Vicente (violão/voz) integrou Os Cariocas durante 22 anos, assim como Neil Teixeira (baixo/voz), por 21 anos, e Fabio Luna (bateria/voz), por seis anos. Os últimos discos na formação d´Os Cariocas foram o “Nossa Alma Canta” de 2010, vencedor do Prêmio da Música Brasileira como melhor grupo de MPB, com a participação de Elói e Neil como integrantes e arranjadores, e o “Estamos Aí”, de 2014, também finalista deste prêmio, já com Fábio Luna integrado à sua formação.

Com a morte do maestro Severino Filho em março de 2016, os outros três integrantes do grupo decidiram dar continuidade ao trabalho que vinha sendo feito, já que Eloi e Neil vinham fazendo arranjos para o grupo nos últimos anos. Com a informação, pela família de Severino, de que o nome Os Cariocas não poderia ser mais usado pelo grupo, resolveram então assumir a denominação Quarteto do Rio e prosseguir fazendo música vocal de qualidade – sem ressentimentos. Agora, contam também com Leandro Freixo (teclado/voz), pianista de mão cheia que tem influência jazzística, além de ocupar muito bem o falsete antes executado pelo Severino, para levar adiante o trabalho do grupo e continuar fazendo, com esta nova formação, nos palcos e em gravações, música com a qualidade e o esmero sempre exigido pelo seu público por todos esses anos.

“De 1995 até 2016, só havia tido duas modificações n’Os Cariocas. Dois meses após a partida do Severino, e pensando na continuação do grupo, iniciamos testes com pretendentes e Leandro foi o escolhido. Para nossa sorte, musicalmente, o entrosamento aconteceu e ele se tornou grande parceiro de palco, papos e ensaios, formando conosco o Quarteto do Rio”, conta Neil Teixeira.

“Pra mim foi uma alegria entrar para este grupo importantíssimo de nossa música. Há um clima muito harmonioso e democrático de trabalho e convivência que, tenho a impressão, é uma tradição que já existia naturalmente antes. É um grupo que se auto-dirige e onde todas as decisões são tomadas em conjunto. Então, já entrei me sentindo parte do quarteto”, conta Leandro Freixo.


O repertório do disco foi pensado para homenagear em vida um dos maiores compositores da nossa música, Roberto Menescal, que já dividiu com eles tantas gravações de discos e tantos shows aqui e fora do Brasil. “Falamos com o Menescal que pretendíamos gravar alguns clássicos do seu repertório, mas também algumas coisas novas. E ele nos mandou doze musicas que não conhecíamos. Dessas, com muita dificuldade de ter que deixar várias de fora, escolhemos três, já que, no projeto original seria um disco com dez músicas. É um prazer enorme podermos passear sobre suas melodias e harmonias preciosas, clássicas e atuais, reverenciadas mundialmente, que lhe renderam o apelido de Mr. Bossa Nova”, explica Eloi Vicente.

“Esse CD é um grande presente que ganhei nesse meu niver. Sempre fui fanzão de vocal e, de repente, vi minhas músicas sendo gravadas por esse maravilhoso grupo! Fui também convidado por eles para participar das gravações colocando minha modesta guitarra, o que certamente me proporcionará muitas apresentações junto a eles. O que eu poderia querer mais?”, revela Menescal. O disco abre com a inédita “Ela quer Sambar”, de Roberto Menescal e Paulo Sérgio Valle, arranjo de Neil Teixeira num samba estilo gafieira, vocal na linha d`Os Cariocas e a guitarra elétrica e voz de Menescal. “Nós e o Mar”, de Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli, uma bossa clássica já gravada por diversos artistas, menos pelo Os Cariocas, ganhou harmonia nova de Menescal, que participa da faixa fazendo o solo de guitarra, e “Um Tiquinho Só” é mais uma inédita, desta vez de Menescal e Andréa Amorim, cantora e compositora de Recife, com arranjo afoxé de Elói Vicente e a participação do Menescal na guitarra e voz. “Rio”, um dos maiores sucessos de Menescal e Boscoli na voz d'Os Cariocas, ganhou novo arranjo vocal e de base de Elói e tem Menescal cantando com eles.

Já “Ah Se Eu Pudesse”, outra bossa clássica de Menescal e Bôscoli, tem arranjo de Neil Teixeira e solo de flauta baixo de Fabio Luna. A balada “A Volta”, uma das músicas preferidas de Menescal com linda letra de Bôscoli, tem arranjo de Elói e já foi gravada por Elis Regina e Toots Thielemans. O medley “O Barquinho/Você” traz duas das mais conhecidas músicas da dupla Menescal e Bôscoli, com arranjo de Elói à capella. "A Morte de Um Deus do Sal", de Menescal e Boscoli, arranjo de Neil Teixeira e participação de Menescal na guitarra, foi gravada muitas vezes apenas instrumental e aqui o grupo deu ênfase a esse aspecto. Vem como brinde para os fãs saudosos d´Os Cariocas e também para os novos já conquistados em vários shows. “Você me Ganhou”, a terceira inédita, de Menescal e Paulo Sérgio Valle, é outra com cara de bossa clássica, com voz, violão e guitarra elétrica de Menescal.

O álbum fecha com o clássico “Bye Bye Brasil”, de Chico Buarque e Menescal, arranjo do Eloi Vicente e guitarra elétrica do homenageado. Essa música, feita sob encomenda para o filme de Cacá Diegues, foi o primeiro encontro de Chico e Menescal num jantar organizado pelo diretor para apresentá-los sem que eles soubessem. Menescal conta que a letra chegou ao último minuto. A música iria para o filme de forma instrumental por causa da demora da letra. Chico entrou no estúdio durante a gravação com a letra, que era muito maior do que a versão que foi gravada. Cortaram na hora, gravaram, e foi um enorme sucesso.

E já tem vídeos rolando no canal do youtube e site do grupo. Lá você pode ver o vocal de “O Barquinho/Você”, o vídeo de “A Morte de Um Deus de Sal”, com participação de Menescal, e o vídeo lyric de “Um tiquinho Só”.


domingo, 19 de noviembre de 2017

Ordinarius em "Coração" (Synval Silva)

É com muito orgulho que apresentamos mais um pouquinho do nosso "Notável", que chega às lojas e plataformas digitais agora em dezembro. Desta vez a música é "Coração", de Synval Silva. Lançada por Carmen Miranda nos anos 30 ganha nova versão repleta de sentimento no arranjo e interpretação do Ordinarius.

Arranjo, Produção e Direção Musical: Augusto Ordine
Ordinarius: Augusto Ordine, Maíra Martins, Mateus Xavier, Matias Correa, Fabiano Salek, Fernanda Gabriela e Rebeca Vieira
Produção Executiva: Maíra Martins
Direção e edição de vídeo: Mateus Xavier
Câmeras: Mateus Xavier, Maíra Martins, Matias Correa, Augusto Ordine e Fabiano Salek Agradecimentos: Ricardo Calafate (Estúdio Umuarama).


Fuente: www.ordinarius.com.br

jueves, 2 de noviembre de 2017

Homenaje al Perú con Kevin Salcedo

Llego el cover Homenaje a mi querido Perú que junto a mi hermano Carlos Méndez Aranda realizamos con mucho feeling, un arreglo de tres temas símbolos de nuestra música criolla y que mejor para el sentimiento patrio de corazones blanquirrojos en estos días de clasificación al mundial.

Un Agradecimientos infinito a mis hermanos Luis Miguel Miranda Bazán, Kevin Velasquez, Eileen Castillo (modelo), Vicente Cueva, Nestor Alonso Vasquez Novoa, Cristhian Lopez Vera (Camaras) que sin ellos nada esto tendría vida, mi respeto y cariño a todo su talento.

KEVIN SALCEDO

Musicos:
Voz : Kevin Salcedo Honores
Voz : Carlos Méndez Aranda
Piano: Kevin Velazques
Guitarra: Vicente Cueva
Cajon: Alonso Novoa




Canal de Kevin Salcedo:
https://www.youtube.com/channel/UC6f1rZ4YnEk0EFmokSB28_A

miércoles, 1 de noviembre de 2017

Club de Choro de Buenos Aires

El Club de Choro de Buenos Aires es un colectivo de músicos reunidos con el objeto de tocar, estudiar, componer, difundir y representar esta música maravillosa; que luego de un siglo y medio de existencia continúa mas viva que nunca.




El carácter inclusivo de la agrupación busca que cualquier músico interesado pueda formar parte de las tradicionales “rodas” que se realizan frecuentemente en distintos puntos de la Ciudad de Buenos Aires.



Asimismo el Club plantea diversas actividades de formación y difusión, tales como eventos y talleres, pudiendo en algunas ocasiones convocar a grandes maestros del género con el objeto de continuar el desarrollo musical de los integrantes.

Fan Page Club de Choro de Buenos Aires:  https://www.facebook.com/clubdechoro/